terça-feira, abril 03, 2007

Último Adeus...


Nas noites mais sombrias desta vida interior.
Posso escutar lamentos, arrependimentos, e uma profunda dor.
Dor de abandono, de não ter dono, este coração.

Dor de sentir falta, de cometer faltas, de faltar com atenção.
Agora vá, receba um novo candeeiro, que traga mais luz, que emita mais calor.
Agora vá, receba um novo cálice, mais doce e ludibriante que seu antigo amor.

Luiz Augusto Vallim

Adeus pra sempre...

Um comentário:

dilso_med disse...

Opa...tava demorando já pra atualiza isso aqui e eu vim te encher a paciência....

Muito bonito seu poema...não sou muito bom em sentir as coisas....mas digo q dá pra sentir uma mensagem de esperança, mesmo frente ao arrependimento...
Não sou bom nisso....
Mas quanto ao estilo....ah...que se dane o estilo...quem disse que eu sou especialista em criticar poemas ???
Mas na minha humilde opinião, ficou algo profundo, e ao mesmo tempo singelo...quase pueril....combinação interessante...

Qualquer dia quando quiser podemos conversar mais sobre seus escritos.....pq eu odeio escrever....mas criticar textos....pricipalmente os seus...é bem interessante ( NO BOM SENTIDO....VC SABE NÉ VALLIM)

Um Abraço velho....
Se cuida...